Uma história inacabada de um suicídio na metade. MOREIRA, Isa Lorena vergasta. Ficção, Literatura.

Parte 5

À beira do precipício, tudo em lento suicídio. Essa frase me veio agora, de súbito.
Vamos continuar.

Sempre fui fascinada pelo suicídio. Pensei em morrer afogada, eletrocutada, sufocada por gás... São muitas opções. Quase todas foram descartadas por serem pouco poéticas e darem trabalho aos que ficam. Não é o que quero. E também não quero uma morte sofrida, passar horas e horas sentindo dor, nada disso. Ouvi dizer que na internet, pessoas ensinam algumas técnicas de suicídio. Tentei uma vez procurar essas pessoas, mas não é tão fácil assim, e em lan house, fica caro demorar. Decidi então eu mesma preparar minha despedida, à minha maneira. Ainda não decidi a técnica que vou usar, afinal. E também não tenho essa pressa toda de ir embora. Penso até em ir visitar o velho antes de partir, sem lhe contar nada, claro. Apenas ir lá, dar uma espiada em como está...
Ele mora ainda na mesma casa, mas desde que saí de lá, tem uns três ou quatro anos já, só fui lá duas vezes. Da última vez achei que ele finalmente ia me comer, pois me sentou em seu colo e me abraçou forte e eu não resisti e me esfreguei até sentir seu pau endurecer. Eu estava excitadíssima, mas quando levantei e sentei de frente pra ele, olhou nos meus olhos e de súbito, me jogou no chão e deu um tapa em minha cara. Não lhe disse nada, apenas fui embora. Vou embora sem entender aquele velho.

3 comentários:

  1. genial. gostei muito. sério.

    abraço

    ResponderExcluir
  2. Dizem os teoricos e críticos literários...principalmente os estruturalistas que o autor encontra sua plenitude quando aprisiona o leitor em seu mundo literário..parabéns !!isso vc conseguiu aqui...em verdade nunca leio textos grandes em blogs, mas a personalidade do personagem isenta até o momento qualquer culpa estrutural...

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. .'.

    Isa,

    Valeu a visita mais uma vez. Sim, aquele conto que está em meu blog é o conto do qual eu havia lhe falado. Fico contente que lhe agradou.

    Quanto a você, muito interessante essa forma de escrever na primeira pessoa. É como você havia dito, as pessoas podem se confundir facilmente sobre ser ficção ou realidade.

    Beijo!

    '.'

    ResponderExcluir